Biblioteca Virtual da América Latina

Biblioteca Virtual da América Latina

América Latina

Suriname

Nome oficial: República do Suriname
Localização: Norte da América do Sul, banhada ao norte pelo oceano Atlântico; limita a oeste com a Guiana, a leste com a Guiana Francesa e ao sul com o Brasil
Estado: Republica parlamentarista
Capital: Paramaribo
Idiomas: Holandês, inglês, crioulo
Moeda: Florim do Suriname
Superfície: 163.255 Km2
População: 457.961 mil
Clima: Equatorial
Data de independência: 25 de novembro de 1975
Constituição: 1987

O território de Suriname está situado no norte da América do Sul e é banhado pelo oceano Atlântico; faz fronteira a oeste com a Guiana, a leste com a Guiana Francesa e ao sul com o Brasil. A região foi colonizada pela Espanha desde que foi avistada em 1498 por Cristóvão Colombo em sua terceira viagem ao continente americano. No inicio do século XVII instalaram-se os primeiros holandeses no território que passou a ser controlado pela Companhia Holandesa das Índias Ocidentais fundada em 1621. Nesse período a região sofreu investidas de franceses e ingleses, mas em 1667 a hegemonia holandesa consolidou-se com o fim da guerra anglo-holandesa e a assinatura do Tratado de Breda quando o território de Nova Amsterdã, atualmente Nova York, foi trocado pelo território inglês no norte da América do Sul que passou a ser chamado de Guiana Holandesa. A partir disso foram exploradas várias culturas como o café, açúcar, algodão e coco com a utilização de mão-de-obra escrava africana; em 1794 a Companhia Holandesa das Índias Ocidentais saiu da região que se tornou oficialmente uma colônia holandesa. Devido às muitas insurreições de escravos foram sendo estabelecidas no interior colônias de ex-escravos conhecidos como cimarrones; isso permitiu, do século XVI ao XIX a manutenção da cultura, as línguas e as religiões africanas. Com a abolição da escravatura no final do século XIX houve grande afluência de imigrantes asiáticos: indo - paquistaneses, javaneses e chineses, introduzindo um novo grupo com cultura distinta trazendo modificações na estrutura social e de trabalho. Nesse período foi realizado um novo recorte geográfico do território, pois o Tratado de Breda foi questionado e como resultado do Congresso de Viena em 1815 foi efetivada a repartição garantindo aos ingleses a propriedade sobre o que é hoje a Guiana, e aos holandeses o que é hoje o Suriname. Devido às diferenças étnicas, culturais e idiomáticas foi difícil o surgimento de uma consciência nacional, no entanto, partidos políticos foram sendo criados no inicio do século XX e iniciados movimentos de independência; em 1948 foi instituído um Conselho administrativo e em 1949 o sufrágio eleitoral universal. A independência parcial do Reino dos Países Baixos foi conseguida em 1954 e, através de acordos entre os partidos políticos foi proclamada a independência em 25 de novembro de 1975 e adotando o nome de Suriname. No entanto, nas décadas dos anos 1980 e 1990 o país vivenciou um período conturbado e ditatorial, e somente no inicio do século XXI começa a ter um período de maior estabilidade econômica e política, mas com problemas ainda na questão de demarcação territorial, entre outros a serem resolvidos. O Suriname tem um clima quente e úmido, com uma vegetação florestal na maior parte de seu território e é rico em minérios como a bauxita, um dos principais produtos de exportação. Essa região quando descoberta era povoada pelos índios aruaques e caribes, e atualmente é composta pelos hindustani, mestiços de brancos e negros, javaneses, negros, ameríndios, chineses, brancos.

Fonte: Guia geográfico (www.guiageo-americas.com) ; Enciclopédia contemporânea da América Latina e do Caribe. São Paulo: Boitempo Editorial, 2006; P@íses - IBGE (www.ibge.gov.br/paisesat/).

Saiba mais:

Memorial da América Latina
Avenida Auro Soares de Moura Andrade, 664 • 01156-001 • São Paulo/SP • Brasil
Tel: (55 11) 3823-4600 - Todos os direitos reservados - 2009